A segurança durante um ensaio newborn não é algo opcional, é obrigatória. O recém-nascido é um ser único e absolutamente insubstituível. É de extrema importância que todos os fotógrafos de bebês recém-nascidos estudem, afinal, aquele modelinho em suas mãos é o bem mais precioso da vida daquela família.

O fotógrafo de recém-nascido precisa ter todo conhecimento de anatomia e fisiologia do bebê, saber reconhecer e respeitar seus limites, aprender a entender seus choros e reflexos, suas necessidades, fragilidade e, mais importante, sua imaturidade. Suas defesas ainda estão em amadurecimento, assim como todos os sistemas do seu corpo. O fotógrafo deve estar preparado lidar com bebê recém-nascido da melhor maneira. Tudo que acontece ao bebê/família no ensaio é de responsabilidade do fotógrafo. Precisamos prezar pelo bem-estar do bebê durante todo o ensaio.

O ideal é que esse profissional aprenda com uma pessoa que tem mais experiência, que pode mostrar como realizar esse ensaio com toda a segurança sem colocar a saúde do bebê em risco.

Somos enfermeiras neonatais de formação, com mais de 8 anos de experiência trabalhando com recém-nascidos doentes e saudáveis. Temos também uma vasta experiência em prevenção de infecções e em situações de emergência. Enfermeiros, médicos e outros profissionais da área da saúde aprenderam com bonecos e com seres humanos, mas sempre supervisionados por professores capacitados e experientes.

Quando começamos nossa carreira como fotógrafas de recém-nascidos ficamos muito preocupadas com a saúde dos bebês, não só no Brasil, mas em todo o mundo. Esse é um mercado que cresce a cada dia e é natural que os muitos fotógrafos queiram começar a fotografar os bebês que acabaram de nascer.

Nós criamos o nosso curso, o “Como `funciona` o recém-nascido” em março de 2015 e desde então mais de 300 fotógrafos do Brasil e do mundo estão aprendendo com a gente. O curso é uma `tradução` do conhecimento que adquirimos nos anos atuando como enfermeiras neonatais, adaptados por nós para a sessão newborn.

A campanha que surgiu falando sobre a importância do uso de bonecos para treinamento de ensaio newborn pode ser de grande valia quando o profissional estiver pensando em aprimorar ângulos, luz e composições. Em relação à segurança, é de extrema importância que o fotógrafo tenha tido contato sob supervisão com bebês de verdade, para entender que é muito diferente de um boneco, afinal ele se mexe, tem reflexos, limites e cada um deles possui características específicas.

Em fevereiro de 2017 lançamos, junto com uma dupla de fotógrafas de Curitiba, um livro, o “Manual da Fotografia newborn: cuidado, inspiração e técnica”. Temos interesse em traduzir esse livro em vários idiomas para que todo esse conhecimento possa ser disseminado cada vez mais.

Aqui vão algumas dicas para quem está começando na fotografia newborn e precisa ter um primeiro contato com o aprendizado. Essas são algumas dicas básicas que são muito aprofundadas tanto no nosso curso presencial, como no nosso livro.

 

Alguns itens são essenciais quando se realiza o ensaio:

 

– Temperatura ideal, em torno de 27 a 28 graus Centígrados: o bebê ainda não tem controle da temperatura corporal, se ele fica em um ambiente mais frio, a tendência do seu corpo é esfriar, se o ambiente está muito aquecido, o corpo também aquece. Para termos esse controle, o ideal é ter sempre ao lado um termômetro com higrômetro, que mostra também a umidade do ar. A umidade deve ser controlada (o ideal é entre 50 e 60%) pois um ambiente muito seco pode levar o bebê a desidratação mais rapidamente, caso ele não tenha reposição de líquidos efetiva.

-Local adequado para o ensaio: seja externo, em estúdio, ou na casa do cliente, o ambiente deve ser adequado para receber um recém-nascido. O estúdio deve ser limpo e desinfetado periodicamente, assim como todos os materiais e acessórios utilizados na sessão (a cada sessão). Na casa do cliente, o ambiente onde será feito o ensaio, também deve estar limpo e desinfetado.

– Para sua maior segurança, em ensaios externos, o bebe deve ser posicionado em um ambiente fechado com temperatura e umidade controlados. Além disso, deve estar sempre com uma roupinha ou coberto com uma fralda de tecido ainda que o ambiente externo esteja quente e úmido. Quando ele já estiver devidamente posicionado e o ambiente externo estiver apropriado (livre de insetos, inseticidas e/ou produtos para controle de pragas, luz indireta do sol), o bebe deve ser fotografado e em poucos minutos ele deve retornar ao ambiente controlado.

– O fotógrafo e assistente precisam conhecer profundamente o bebe recém-nascido, estudar sobre ele, aprofundar seus conhecimentos sobre as fases do sono, sobre amamentação, sobre as suas necessidades fisiológicas para atender o bebê da maneira mais segura possível.

– A pele do RN é 40 a 60% mais fina que a de um adulto ou criança mais velha. Para tocar/posicionar um RN devemos estar com unhas curtas e lixadas e sem adornos que possam arranhar a pele frágil do bebe. A pele do bebe nunca deve encostar no prop, pois normalmente as superfícies são ásperas e podem causar alguma lesão. Um arranhão na pele do bebê pode ser uma porta de entrada para microrganismos e início de uma possível infecção.

– A higiene das mãos é a principal medida para a prevenção de transmissão de microrganismos. Ela deve ser feita com o produto certo (na grande maioria das vezes é o álcool em gel), da forma correta e nos momentos essenciais. O produto alcoólico mata 99,9% dos microrganismos que estão nas nossas mãos. Se tocarmos em superfícies contaminadas como: cabelo, chão, celular, câmera, por exemplo, devemos higienizar as mãos novamente antes de tocar o RN.

– A cabeça do RN representa 1/3 do seu corpo tanto em volume como em peso. Ela deve estar 100% do tempo apoiada e não pode sofrer movimentos bruscos para preservar a sua integridade e evitar lesões na coluna cervical, além de traumas.

 

 

– Poses mais elaboradas: sempre deve ser feita com fusão de duas imagens. Como exemplo a pose do sapinho, na primeira imagem o assistente apoia com delicadeza a cabeça do bebe e o fotógrafo faz a foto; na segunda imagem os braços do bebê são apoiados para a foto. Eventualmente, o bebe RN pode se manter sozinho nessa posição, mas sua estrutura musculoesquelética não está madura o suficiente para se manter nessa posição sem risco de lesão e/ou trauma. A região cervical do bebê é frágil precisa de apoio constante para não sofrer nenhuma lesão. As articulações e musculatura também são frágeis, assim como seus ossos. Toda manipulação deve ser gentil e respeitar os limites do recém-nascidos e feitas com cautela e segurança. Nenhuma posição deve ser forçada.

– Sempre que o bebê estiver posicionado para a foto um assistente deve permanecer ao seu lado pois, caso ele se mexa ou apresente algum reflexo essa pessoa está pronta para ampará-lo imediatamente. Caso o fotógrafo não trabalhe com assistente, sempre deve pedir para alguém ficar sentado ao lado da criança. Essa pessoa deve manter a atenção voltada para o bebê 100% do tempo.

– Ao oferecer a mamadeira para o bebê, eleve cabeça e ombros para evitar o risco de bronco- aspiração no caso de regurgitação.

– Fotógrafos: Escolham bem seus mentores, pois isso vai fazer diferença na sua vida e na de outras pessoas/ famílias também.
– Pais, procurem bem seus fotógrafos. Seu filho é o seu bem mais precioso.

Para concluir, repetimos e repetiremos sempre que a segurança do recém-nascido é o mais importante em um ensaio newborn. A fragilidade do recém-nascido deve ser respeitada pois ele se encontra em uma fase delicada, que requer muito carinho, cuidado, amor e dedicação. A família encontra-se também psicologicamente fragilizada e vê no fotógrafo uma fonte de referência para assuntos que são novos para eles e muitas vezes assustadores. O fotógrafo precisa estar preparado em todos os sentidos para além de dar segurança para o bebê, conseguir demonstrar aos pais, através do amor e do cuidado, uma base de conhecimento sólida e comprometida com a vida que está em suas mãos.